Disfunção erétil atinge 35% de homens entre 18 e 40 anos

Levantamento com 2 mil homens entre 18 e 40 anos indicou que 35% dos brasileiros nessa faixa etária apresentam algum grau de disfunção erétil. A constatação veio da pesquisa Estudo da Vida Sexual do Brasileiro, realizada em 2003 pela professora Carmita Abdo, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), e a partir dela o urologista Fernando Gonini Martins aprofundou estudos sobre o tema em seu mestrado, defendido no dia 1° desse mês, segundo informações da Agência USP de Notícias.

Agência Estado |

Entre as características identificadas pelo pesquisador em seu estudo estão a baixa escolaridade, dificuldades no início da vida sexual, o impacto que o problema causa na vida pessoal e a insatisfação com a vida sexual atual. Apenas 7% dos entrevistados no grupo entre 18 e 40 anos com disfunção erétil buscam tratamento para o problema.

A partir de dados da pesquisa de 2003 de Carmita Abdo, que orientou sua tese, o urologista identificou que o impacto da disfunção erétil na vida pessoal atinge mais o trabalho para 25% dos homens entrevistados, enquanto a auto-estima é a maior impactada para 23% e relacionamento com a parceira para 17%.

Os homens que enfrentam o problema se consideraram muito insatisfeitos ou insatisfeitos com sua vida sexual em proporção maior em relação aos que não apresentavam disfunção. No caso inverso, homens sem disfunção se consideraram muito satisfeitos ou satisfeitos em proporção maior que os entrevistados com o problema. As informações são da Agência USP de Notícias.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG