Amil reconhece proposta para atender servidores da Câmara http://blogdoet.blig.ig.com.br/2009/2/19212195.html target=_topCâmara deve dar plano de saúde dos servidores a Amil" / Amil reconhece proposta para atender servidores da Câmara http://blogdoet.blig.ig.com.br/2009/2/19212195.html target=_topCâmara deve dar plano de saúde dos servidores a Amil" /

Diretores do Sindilegis acusam presidente de negociar contrato da Amil sem autorização

BRASÍLIA - Menos de um dia após a Mesa Diretora da Câmara ter autorizado o Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo (Sindilegis) a negociar a inclusão de 12 mil funcionários comissionados num plano de saúde subsidiado pelo parlamento, foi instalado um clima de tensão entre a entidade e a categoria. Isso porque, segundo notícia antecipada pelo Último Segundo, um representante da Amil teria participado da reunião com os deputados e negociado a contratação dos serviços da operadora por R$ 80 milhões por ano, sem licitação pública. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/01/09/amil+reconhece+proposta+para+atender+servidores+da+camara+3245942.html target=_topAmil reconhece proposta para atender servidores da Câmara http://blogdoet.blig.ig.com.br/2009/2/19212195.html target=_topCâmara deve dar plano de saúde dos servidores a Amil

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico Os primeiros a se manifestarem contra o assunto foram cinco diretores do Sindilegis. Em nota à imprensa, eles manifestam indignação contra a posição do presidente, senhor Magno Mello, de negociação junto à Mesa Diretora da Câmara dos critérios e da forma de gestão do Plano de Saúde dos Servidores da Casa Pró-Saúde [atual plano de Saúde contratado pela Câmara].

Os diretores informam ainda que o posicionamento de Magno Mello não foi posto ao conhecimento dos demais membros diretores do sindicado e que o atual plano de Saúde dos servidores da Câmara tem alto índice de satisfação, não havendo, portanto, razões para mudança.

Em contrapartida, Magno Mello publicou no site do sindicato uma explicação ponto a ponto sobre as negociações em torno da contratação de um novo plano de saúde para os sindicalizados. De acordo com o texto, o caso será levado para discussão em Assembleia Geral da entidade, a ser convocada na próxima semana.

Segundo Mello, a proposta da Amil foi colocada em discussão durante reunião da Mesa Diretora, assim como da Unimed. Mas pondera que é preciso destacar que, ao contrário da divulgação da imprensa e da rádio corredor, a Amil ainda não foi escolhida para atender os servidores, muito menos foi fechado algum contrato com a empresa.

Mello diz ainda que jamais será intransigente em relação ao tema, mas reitera que que não existe mais a possibilidade de manter o Pró-saúde funcionando no formato atual.

O presidente da Câmara, Arlindo Chianglia (PT-SP), informou à imprensa, após anunciar a autorização dada pela Mesa Diretora ao Sindilegis para negociar a contratação de um novo plano de Saúde, que o parlamento aceitou estudar a proposta de incluir 12 mil servidores comissionados no pacote contratado, mas que não acataria aumento de gastos no Orçamento.

O presidente do sindicato, Magno Mello, garante que o valor subsidiado pela Câmara não será alterado. Se prevalecer a proposta da operadora, o plano funcionará da seguinte maneira: a Câmara irá entrar com R$ 180,00 por cada um dos 15.171 segurados que têm o plano da Câmara e outros R$ 80,00 para cada comissionado. Estes últimos não terão direito a incluir familiares no plano. O presidente Magno Mello dá o próprio exemplo em relação ao novo modelo proposto, explica.

Veja também:

Leia mais sobre: Câmara dos Deputados


    Leia tudo sobre: câmaracâmara dos deputadosplano de saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG