Watchmen no R.Unido - Brasil - iG" /

Diretor Zack Snyder apresenta Watchmen no R.Unido

Londres, 23 fev (EFE).- A adaptação de uma história em quadrinhos serve novamente ao diretor americano Zack Snyder para chegar às telas com uma aventura de super-herói atípica, com a qual espera repetir o sucesso de seu trabalho anterior, 300, que contou com o ator Rodrigo Santoro no papel do rei Xerxes.

EFE |

O filme, intitulado "Watchmen", se baseia na HQ de mesmo nome desenhada por Dave Gibbons e escrita por Alan Moore no final dos anos 1980.

O longa-metragem está ambientado no final da Guerra Fria, com um belicoso Richard Nixon como presidente dos Estados Unidos e um possível confronto nuclear com a União Soviética como pano de fundo.

Durante a apresentação do filme que ocorreu hoje em Londres, Snyder ressaltou que o livro original "é muito filosófico e nada emocional", mas que ele tentou fazer sua própria adaptação.

A fita, cuja estreia mundial foi marcada para 6 de março, começa com o assassinato de um membro do Watchmen, um grupo de heróis no qual alguns integrantes estão aposentados da vida pública enquanto outros triunfam graças a suas habilidades.

Entre estes últimos está Mister Manhattan, um cientista convertido em um ser azul e invencível, após ter sofrido um acidente em um laboratório, e a quem Nixon tinha recorrido anos antes -junto a outros de seus companheiros- para acabar com a resistência na Guerra do Vietnã.

Daí em diante, o espectador mergulha em quase três horas de ação, litros e litros de sangue e um pouco de sexo para ilustrar uma história mais complexa que o habitual em outras fitas de heróis.

O estilo esboçado por Snyder em "300" volta a ser visto em "Watchmen" graças, entre outras coisas, aos efeitos especiais, especialmente trabalhados pela equipe liderada pelo diretor, da mesma forma que a música desempenha também um papel crucial para o desenvolvimento do filme.

O filme é protagonizado por Billy Crudup, Malin Akerman, Matthew Goode, Carla Gugino, Jackie Earle Haley, Jeffrey Dean Morgan e Patrick Wilson. EFE otp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG