Cannes (França) ¿ O filme Tulpan, do diretor do Cazaquistão Serguei Dvortsevoy, ganhou hoje o prêmio Um Certo Olhar, segunda seção oficial competitiva do Festival de Cannes, cujo júri deu excepcionalmente cinco prêmios em lugar dos três previstos.

"Tulpan" situa sua narrativa no Cazaquistão, para contar os sonhos e frustrações de um jovem habitante da região, rejeitado por sua prometida, por ter orelhas muito grandes.

O prêmio do Júri foi para "Tokyo Sonata", filme no qual Kiyoshi Kurosawa retrata a crise de uma família japonesa; enquanto o prêmio Coup de Coeur foi para "Wolke 9", do diretor alemão Andreas Dresen, uma bela e inesperada história de amor passada nos anos 60.

"Como teve um filme que deixou todos boquiabertos", explicou o diretor e presidente do júri Fatih Akin, foi criado um prêmio especialmente para "Tyson", de James Toback, documentário sobre a vida do famoso boxeador que, de fato, deu ao 61º Festival de Cannes um de seus momentos auge.

O quinto prêmio da noite foi o "Da Esperança", que foi para o filme "Johnny Mad Dog", de Jean-Stéphane Sauvaire, sobre as crianças da guerra da Libéria.

O júri decidiu, além disso, fazer uma "homenagem particular aos filmes e à obra de Raymond Depardon, que competia nessa mesma categoria com "La Vie Moderne".

O presidente do júri, o diretor alemão de origem turca de "Do Outro Lado" (2007) e "Contra a parede" (2003), explicou que a qualidade dos filmes este ano foi excelente e que, por isso, decidiram dar cinco prêmios após pedir e obter a permissão das "autoridades" do evento.

Os outros membros do júri eram o diretor da Filmoteca espanhola, José María Prado; a jornalista de televisão indiana Anupama Chopra; o crítico egípcio Yasser Moheb; e a jornalista do primeiro canal nacional da televisão russa, Catherine Mtsitouridze.

Dentre os 20 filmes selecionados nesta seção figuravam três latino-americanos, entre eles o segundo longa-metragem do mexicano Amat Escalante, que causou sensação há alguns anos na categoria "Um Certo Olhar" com " Sangue Pazzo".

O diretor americano de origem brasileira Antonio Campos, com "Afterschool", e o brasileiro Matheus Nachtergaele, com "A Festa da menina morta", eram os outros dois diretores latino-americanos.

No total, participavam este ano 20 filmes - sete deles de diretores estreantes - realizados por 23 artistas, procedentes de 23 países, conforme informou o diretor-geral do evento, Thierry Frémaux, ao abrir a cerimônia de entrega de prêmios na sala Debussy.

Leia mais sobre: Festival de Cannes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.