Diretor do presídio Bangu 3 é assassinado no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO ¿ O tenente-coronel da PM José Roberto do Amaral Lourenço, diretor do presídio de segurança máxima Bangu 3, foi assassinado na manhã desta quinta-feira. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), o crime aconteceu na avenida Brasil, na altura de Deodoro, próximo ao Complexo de Gericinó.

Redação |

Acordo Ortográfico

Soldados do 14º BPM (Bangu) estiveram no local após o crime e isolaram a área. De acordo com a polícia, Lourenço seguia de carro para Bangu 3 quando foi parado por homens armados em outros dois veículos.

Segundo a perícia, os criminosos dispararam cerca de 60 tiros de fuzil contra o veículo do tenente-coronel e fugiram sem levar nada. A polícia ainda não tem informações sobre os motivos do assassinato. Lourenço dirigia o presídio há três anos e, de acordo com a SEAP, não há registros de que ele vinha recebendo ameaças.

AE

Carro do tenente-coronel foi alvejado com cerca de 60 tiros, segundo a perícia

O corpo de Lourenço será enterrado nesta sexta-feira, no cemitério Jardim da Saudade, no bairro de Sulacap, zona oeste do Rio. Ele era casado e tinha duas filhas.

Na penitenciária estão detidos criminosos considerados de alta periculosidade, como líderes do tráfico de drogas. Bangu 3 tem capacidade para aproximadamente 450 detentos.

Leia mais sobre: Bangu 3

    Leia tudo sobre: assassinatobangu 3complexo de bangumorterioviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG