Diretor de sindicato é morto durante panfletagem no Amazonas

Segurança da fábrica Sony teria baleado o sindicalista e fugiu do local

AE |

selo

O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas Augusto Lima Cruz foi assassinado em frente à fábrica da Sony com dois tiros no peito na manhã desta sexta-feira, enquanto fazia panfletagem. O suspeito do crime, o segurança da fábrica Ernani Puga Neto, fugiu do local e está sendo procurado. 

De acordo com a assessoria da Secretaria Estadual de Segurança, a arma do crime foi apreendida, um revolver calibre 38. A Sony emitiu nota lamentando a morte do funcionário e afirmou que a empresa está colaborando com a investigação policial. 

De acordo com o presidente do sindicato, Valdemir Santana, Cruz panfletava em frente à fábrica quando foi abordado pelo segurança, que perguntou seu nome e teria, então, atirado à queima roupa. 

"O que mais nos revolta é que a Sony não queria liberar os funcionários, apavorados com o fato e que abandonaram as linhas de produção", disse. A assessoria da empresa negou a acusação e afirmou que todos os funcionários foram liberados durante todo o dia.

    Leia tudo sobre: amazonassindicato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG