Diretor de escola no interior de São Paulo é acusado de pedofilia

O diretor de uma escola particular da cidade de Americana, interior de São Paulo, está sendo acusado de pedofilia. Usando o nome Taís, o homem fingia que era uma criança em conversas feitas pela internet.

Redação |

O caso foi descoberto quando a mãe de uma menina de 11 anos fingiu ser a filha em uma conversa virtual e descobriu que um adulto é quem falava com a criança.

A polícia conseguiu chegar ao computador pessoal do suspeito e encontrou cerca de 27 mil arquivos apagados - todos envolvendo material pornográfico. O promotor Gilson da Silva diz que a investigação começou em 2007 e terminou agora devido ao tempo necessário para recuperar este material.

Silva também afirmou que, inicialmente, o acusado dizia que somente ele tinha acesso ao computador onde foram encontrados os 27 mil arquivos apagados. Quando foi descoberto que o material envolvia pornografia infantil, ele passou a negar a afirmação de que utilizava o computador sozinho.

O diretor da escola foi denunciado por permitr a acessibilidade de conteúdo pornográfico a crianças. Devido ao "vasto material de pornografia" encontrado, o promotor acredita que o homem pode ter se envolvido com outras crianças, "mas isso ainda não foi levantado".

O inquérito foi terminado e a denúncia recebida, mas o homem não vai ser detido pois a legislação brasileira não permite a prisão neste caso - ele tem residência fixa, por exemplo- e não houve contato físico com as vítimas.

Leia mais sobre: pornografia infantil

    Leia tudo sobre: pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG