Diretor da Polícia Federal diz que Prógenes mentiu sobre participação da Abin

BRASÍLIA - O diretor de Divisão de Inteligência da Polícia Federal, Daniel Lorenz, criticou, durante seu depoimento à CPI dos Grampos, o delegado Protógenes Queiroz, afastado do comando da Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Segundo Lorenz, Protógenes foi desleal ao mentir sobre a participação de funcionários da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) nas investigações da PF.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

"Para a própria equipe que trabalhava com ele, o doutor Protógenes Queiroz apresentava os servidores da Abin como sendo técnicos da Receita Federal. Nos deixa chocado a forma desleal com que ele se portou em relação ao Departamento de Polícia Federal", afirmou Lorenz.

Daniel Lorenz afirma só ter tomado conhecimento da parceria Abin/Polícia Federal por meio do agente Márcio Seltz, que, trabalhando dentro do edifício sede da PF, contou que estava na equipe de Protógenes Queiroz.

Lorenz, que ocupa um posto acima de Protógenes na PF, disse ainda ter deixado claro sua insatisfação com a participação de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) em operações da Polícia Federal. Mas a Operação Satiagraha foi repassada a outra diretoria da PF, a de Combate ao Crime Organizado, durante o mês de abril.

Leia mais sobre: Operação Satiagraha

    Leia tudo sobre: operação satiagraha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG