Dilma vê Brasil em condição de ter presidente mulher

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse hoje acreditar que o Brasil poderá, algum dia, eleger uma mulher para a Presidência da República. Não vejo por que o Brasil não tenha possibilidade de eleger uma presidenta.

Agência Estado |

Teve um presidente metalúrgico, pode ter um presidente negro e pode ter uma presidenta", afirmou, após reunir-se com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, para um café da manhã no hotel Tivoli, na região da Avenida Paulista, em São Paulo. "O Brasil está maduro politicamente para perceber que sua multiplicidade pode ser representada de várias formas", acrescentou. Dilma citou como exemplo a eleição do presidente norte-americano, Barack Obama. "A partir dele será natural que um negro assuma a presidência e outros cargos importantes", declarou.

Dilma negou que a conversa com Bachelet tenha abordado sua provável candidatura para a Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores (PT) em 2010. Segundo ela, foi apenas a conversa de uma ministra do governo Lula com a presidente do Chile. Dilma contou que Bachelet disse ter enfrentado preconceitos após ser eleita pelo fato de ser mulher, uma vez que o meio político é dominado por homens. "Você enfrenta uma série de preconceitos sobre como a mulher deve ser. A mulher é capaz de dirigir e dar orientações da sua forma", defendeu. "Talvez isso que eu digo hoje não tenha importância daqui a dez anos", disse, considerando a possibilidade de que mais mulheres ascendam politicamente nos próximos anos.

Dilma falou também sobre as semelhanças entre os apelidos que ela e Bachelet ganharam desde que assumiram cargos políticos importantes. Bachelet é chamada de "mãe do Chile" e Dilma, "mãe do PAC", o Programa de Aceleração do Crescimento. "A imagem da mãe é de proteção e cuidado. Cuidado com o povo e para dirigir sua casa", comentou.

À tarde, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Bachelet foram questionados sobre o encontro da presidente do Chile com a ministra. "Não vou fazer comentários sobre a conversa entre Dilma e Bachelet porque homem não se mete em conversa de mulher", brincou Lula. Questionado sobre se Bachelet serviria como exemplo para Dilma, Lula disse que a chilena serve de exemplo para homens e mulheres de todo o mundo por seu caráter, firmeza ideológica, seriedade, solidariedade e altivez.

Já Bachelet disse que a conversa com Dilma foi muito interessante, mas não envolveu a provável candidatura da ministra para a Presidência da República pelo PT em 2010. Segundo ela, o principal foco foi o PAC, comandado por Dilma. Para Bachelet, a experiência do Brasil neste programa voltado para a infraestrutura é digna de ser compartilhada com outros países.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG