A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que das informações publicadas pelo jornal Folha de São Paulo , a única sigilosa é a referente à ex-primeira-dama Ruth Cardoso. Ela reforçou que as informações com os gastos dos ministros são públicas.

"Queremos dar investigação de forma ampla e irrestrita", disse. A ministra admitiu que essas informações publicadas hoje poderiam ser obtidas por pessoas que tiveram acesso ao banco de dados da Casa Civil.

Segundo ela, as informações atendem aos requisitos de auditoria. Ela afirmou que esses dados serão divulgados pela Casa Civil e informou que serão entregues primeiramente os documentos relativos aos anos de 1998, 1999 e 2000, que já estão prontos. Ao ser confrontada com a informação de que os computadores poderiam ter sido invadidos - possibilidade levantada por ela mesma -, Dilma afirmou que recebeu a informação do ITI de que 90% dos casos de vazamentos não ocorrem por invasão de alguém de fora da casa, mas de alguém de dentro. "Não estamos fazendo nenhum prejulgamento. Não acho que seja nem um e nem outro. Vamos investigar. Estamos investigando todas as hipóteses", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.