arrumado - Brasil - iG" /

Dilma: sucessor de Lula vai encontrar Brasil arrumado

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou hoje que o sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, se for oriundo da base de apoio ao governo, terá de continuar suas obras e fazer melhor, porque vai encontrar um Brasil arrumado e não como o que existia quando ele assumiu. Dilma disse que, quando Lula assumiu, a inflação estava chegando a dois dígitos e o País vivia aceitando interferência do Fundo Monetário (Internacional) nas menores às maiores questões.

Agência Estado |

Segundo a ministra, o governo tem sido testado e respondido bem às provas. "Estamos passando pelo maior teste de estresse que a economia brasileira já passou", afirmou, em entrevista, depois de participar de solenidade de lançamento das obras da BR-448. "Até porque diziam que a gente só tinha sorte", emendou, e "agora está provado que não só somos capazes e competentes de gerir o País na bonança, como também na crise". Para reforçar a avaliação, a ministra citou artigo do jornal francês "Le Monde", que afirma que Lula acertou ao prever uma crise de menor duração no País.

Ao citar indicadores positivos, Dilma destacou a previsão de criar um milhão de empregos em 2009, "no ano da crise". Na visão da ministra, o Brasil conta com destaque internacional porque "o mundo reconhece que o presidente Lula levou desenvolvimento social a um nível no Brasil que não existia". Conforme ela, 25 milhões de brasileiros passaram a integrar a classe média e os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgados hoje, mostram que os indicadores sociais são positivos.

Candidatura

A ministra voltou a dizer que o PT só definirá o candidato à presidência da República em 2010. Em entrevista mais cedo, Lula se referiu a Dilma como candidata a sua sucessão.

Dilma disse que a ausência da governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), na solenidade não interfere no andamento das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Estado. "As obras do PAC são um compromisso do governo independentemente de quem compareça a cerimônias ou não", ressaltou a ministra.

Em discurso, Lula cobrou a presença da governadora e do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), no evento. O governo assinou hoje a ordem de serviço das obras da BR-448, que terá 22 quilômetros de extensão entre Sapucaia do Sul e Porto Alegre.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG