A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão presidencial, subiu em pesquisa de intenção de voto chegando perto do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), provável candidato da oposição, que lidera a sondagem.

Agência Brasil
Dilma no STF nesta manhã
No principal cenário da pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta segunda-feira, Dilma alcança 27,8% da preferência em janeiro, ante 21,7% em novembro, o levantamento anterior. Serra subiu menos, de 31,8% para 33,2%. Como a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, os dois candidatos estão em empate técnico.

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) perdeu terreno, passando para 11,9% frente a 17,5% e a senadora Marina Silva (PV-AC) tem agora 6,8%, ante 5,9% na sondagem anterior. 20,4% disseram não ter candidato.

Em outro cenário, sem Ciro Gomes, José Serra teria maior vantagem com 40,7% contra 28,5% de Dilma Rousseff. Marina Silva alcançaria 9,5% e 21,4% se disseram sem candidato. Os números em novembro de 2009 eram, respectivamente, 40,5%, 23,5%, 8,1% e 28,0%.

Na votação espontânea, sem os candidatos indicados pela pesquisa, Lula ficaria em primeiro com 18,7% dos votos, seguido por Dilma com 9,5%. Serra teria 9,3% e Aécio Neves, 2,1%.

A pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 25 a 29 de janeiro com 2.000 entrevistados em 136 municípios.

Segundo turno

A diferença porcentual entre Serra e Dilma caiu quase três vezes na pesquisa de segundo turno. Em novembro do ano passado, Serra tinha 46,8% das preferências de voto no segundo turno contra 28,2% de Dilma - a distância entre os dois era de 18,6 pontos porcentuais.

Já no levamento feito em janeiro, essa diferença caiu para 6,89 pontos porcentuais, com Serra tendo 44% da preferência e Dilma, 37,1%. Brancos e nulos somam 10,1% e não sabem ou não responderam, 8,9% dos entrevistados.

Agência Brasil
Ricardo Guedes, do Instituto Sensus

"A pesquisa mostra que a ministra passa a ser uma candidata competitiva e intuitivamente diria que Serra parece estabilizado", comentou o técnico do Instituo Sensus Ricardo Guedes. Segundo ele, fazendo uma comparação mais retroativa, o avanço da candidatura da ministra é mais evidente. Na pesquisa de segundo turno realizada em fevereiro de 2008, Serra tinha 57,9% dos votos e Dilma
aparecia com 9,2%.

O levantamento da CNT/Sensus traçou ainda dois outros cenários para segundo turno. Num deles, Serra derrotaria Ciro Gomes, com 47,6% dos votos ante 26,7% do oponente. No terceiro cenário, a ministra Dilma ultrapassa, pela primeira vez, Ciro Gomes num eventual segundo turno. Nessa lista, Dilma subiu de 31,5% em novembro para 43,3% em janeiro. Já Ciro, caiu de 35,1% para 31%.

Índices de rejeição

Segundo a pesquisa, a ministra-chefe da Casa Civil tem o menor índice de rejeição entre os pré-candidatos. Entre os entrevistados, 28,4% disseram que não votariam nela. Já a pré-candidata do PV, Marina Silva, tem o maior índice de rejeição, com 36,6%. A rejeição de Serra é de 29,7%, enquanto a de Ciro é de 30,3%.

Avaliação de Lula

A aprovação do desempenho pessoal do presidente Lula passou de 78,9% em novembro para 81,7% em janeiro , revelou pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta segunda-feira. O crescimento está dentro da margem de erro da pesquisa que é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

*com informações da Reuters e Agência Estado

Leia mais sobre:  Eleições 2010 - pesquisa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.