Ao comentar sobre a CPI da Petrobras no Senado, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse que a estatal é uma empresa do seu coração e contra-atacou a oposição. Essa história de falar que a Petrobras é uma caixa-preta, ela pode ter sido caixa-preta em 97, 98, 99 e 2000, afirmou, numa referência ao período em que os tucanos estavam no poder.

Em entrevista ao chegar no início da tarde de hoje ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Dilma disse que ficava "emocionada" ao falar sobre a empresa.

Ela ressaltou ainda que, por ter ações abertas na bolsa de Nova York, a empresa atende às regras da Lei Sarbanes-Oxley, a chamada Lei SOX, assinada em 2002, pelo governo de George W. Bush, como uma resposta aos escândalos da contabilidade de gigantes como a Eron. "Você pode investigar usando o TCU (Tribunal de Contas da União) e o Ministério Público. Mas queria alertar uma coisa que não tenho ouvido falar: a Petrobras é uma S.A. e é controlada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e atende à Lei Sarbanes-Oxley, que é uma das mais rígidas no que se refere a demonstrações contábeis", afirmou.

A ministra disse que a Petrobras é hoje uma empresa com nível de contabilidade dos mais apurados do mundo. "Se fosse o contrário, os investidores não a procurariam como um grande objeto de investimento", disse. "Investidor não investe em caixa-preta desse tipo", completou. "Agora, é espantoso que se refiram dessa forma a uma empresa do porte da Petrobras. Ninguém abre ação na bolsa de Nova York sem ter um nível de controle bastante razoável", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.