SÃO PAULO (Reuters) - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, realizou nesta quinta-feira sessão de quimioterapia para combater um câncer linfático no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Esta foi a terceira da série. Boletim médico informa que ela chegou às 10h30 no hospital e deve deixar o centro de oncologia nas próximas horas, para retomar suas atividades normais.

A sessão anterior foi realizada em 14 de maio. Quatro dias depois, Dilma sentiu fortes dores nas pernas e precisou ser hospitalizada, quando foi diagnosticado um problema muscular. A ausência abrupta da cortisona, um dos medicamentos da quimioterapia, teria sido responsável pelo desconforto.

Dilma, pré-candidata à Presidência pelo PT, revelou em 25 de abril ter um câncer linfático e informou que terá de fazer tratamento quimioterápico até agosto.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.