Dilma Rousseff admite erro em currículo durante cerimônia do PAC no Rio

RIO DE JANEIRO ¿ A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, admitiu nesta terça-feira que não concluiu os cursos de mestrado e doutorado em Ciências Econômicas na Unicamp, apesar de a informação constar em seu currículo no site do ministério. A afirmação foi feita durante uma cerimônia no Rio de Janeiro para a assinatura de contratos para obras de saneamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Redação com Reuters |

Dilma, pré-candidata à sucessão presidencial, disse que concluiu todos os créditos dos dois cursos, porém alegou que não teve tempo hábil para defender as respectivas teses porque as funções públicas que ocupava não lhe permitiram. Uma reportagem da revista Piauí questionou o currículo de Dilma divulgado pela Casa Civil.

Carlos Magno

Cabral e Dilma assinam contratos no Rio de Janeiro

Eu fiz doutorado em 1997 e 1998, concluí todos os créditos, eu tinha um prazo para fazer a tese. Enquanto não me jubilarem eu sou doutoranda, disse Dilma a jornalistas após cerimônia no Palácio Guanabara, sede do governo estadual do Rio de Janeiro.

A ministra disse ainda que havia um erro nas informações divulgadas pelo Sistema de Currículo Lattes, que mostrava que ela cursou Ciências Sociais.

Aquela ficha do Lattes era de 2000. Eu era secretária de Minas, Energia e Telecomunicações [do Rio Grande do Sul]. Eu não tinha mais nenhuma vida acadêmica. Eu era doutoranda porque eu não tinha sido jubilada, era doutoranda, afirmou.

Ao que me parece, eu fui jubilada [da Unicamp] em 2004, mas não fui comunicada, disse, acrescentando que tem interesse em concluir o doutorado.

Depois do questionamento da imprensa, o site oficial da Casa Civil informa que ela é formada em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e foi aluna de mestrado e doutorado em Ciências Econômicas pela Unicamp, onde concluiu os respectivos créditos.

PAC

Em relação ao ritmo do PAC, gerenciado por ela, Dilma disse que o Brasil não tem o elevado grau de eficiência da Suíça, mas que o País está conseguindo acelerar os grandes projetos do programa. Eu acho que, para os nossos padrões, nós estamos superando o desafio e colocando-o cada vez mais em ação, disse.

Ela participou da cerimônia de assinatura de contratos de financiamento da Caixa Econômica Federal para investimentos em saneamento básico no Rio de Janeiro. Os projetos, que contam com recursos de R$ 587 milhões, beneficiarão moradores da cidade do Rio e de oito municípios da Baixada Fluminense e do interior do Estado.

Os municípios beneficiados pelas obras são: Rio de Janeiro (Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Vargem Grande, Vargem Pequena, Campo Grande, Santa Cruz, Bangu, Ilha de Paquetá e Ilha do Governador); Saquarema (Jaconé); Duque de Caxias; Belford Roxo; Mesquita; São Gonçalo; Maricá (Inoã e Itaipuaçu); Itaperuna e Valença.

Os projetos irão promover ainda o desenvolvimento de ações no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e no Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG). A Estação de Tratamento de Água do Guandu também será contemplada pelas intervenções.

Leia mais sobre: Dilma - PAC


    Leia tudo sobre: dilmadilma rousseffpacsaneamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG