A pré-candidata do PT à Presidência da República Dilma Rousseff disse hoje que não concorda que os conflitos agrários tenham aumentado no País durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, conforme estudo revelado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) ontem. Os dados não apontam nesse sentido, afirmou Dilma, passando a discorrer sobre os programas que o governo federal desenvolveu nos últimos anos.

Dilma disse que o governo assentou quase 600 mil famílias, elevou os financiamentos do Programa Nacional da Agricultura Familiar de R$ 2 bilhões, no início, para R$ 15 bilhões na safra de 2009. Também citou o Mais Alimentos, que financiam tratores para a agricultura familiar, e Luz para Todos, que leva energia elétrica ao campo.

"Isso permite afirmar que nós construímos as condições para encaminhar a paz no campo", reiterou. "Mas sabemos que os movimentos sociais funcionam pela cabeça deles. Nós estamos criando as condições para os movimentos sociais como o dos sem-terra tenham suas reivindicações históricas atendidas".

Dilma está em Caxias do Sul onde participa de uma reunião-almoço promovida pela Câmara de Indústria e Comércio do município.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.