Dilma rebate Agripino e diz que mentiu durante a ditadura para salvar vidas

BRASÍLIA - Após o senador Agripino Maia (DEM-RN) ter citado uma antiga entrevista em que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) disse ter mentido durante sua prisão no período da ditadura, ela garantiu que, no Estado de exceção, não se podia falar a verdade, caso contrário custaria sua própria vida e de outros companheiros que combatiam o regime militar.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"Qualquer comparação entre a ditadura e a democracia só pode partir de quem não dá valor a democracia", disse. "Qualquer pessoa que ousar dizer a verdade para seus torturadores compromete seus companheiros. Eu me orgulho muito de ter mentido para os torturadores", completou.

Ela destacou ainda que, no Estado democrático, a verdade sempre será dita, pois existe uma relação de igualdade, não é um diálogo entre o "pescoço e a forca".

Dilma lembrou dos sofrimentos quando foi torturada pelo regime militar e disse se orgulhar de não ter delatado companheiros. "A dor é insuportável, o senhor [Agripino] não tem idéia".

A ministra Dilma presta depoimento nesta manhã na comissão de infra-estrutura do Senado para falar sobre o PAC, mas também vai responder a questões da oposição sobre um suposto envolvimento na confecção de um dossiê com as contas do ex-presidente FHC com cartões corporativos.

    Leia tudo sobre: dilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG