A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aparece à frente de José Serra (PSDB) na região Nordeste, praticamente empata com o tucano na região Sul e avança na Sudeste, segundo os dados da pesquisa CNI/Ibope divulgados hoje.

As regiões Sudeste e Sul são as que concentram maior percentual de eleitores (cerca de 59% dos brasileiros aptos a votar estão em Estados nessas localidades).

A única região em que José Serra registrou crescimento foi na Norte/Centro-Oeste, passando de 33% para 41% das intenções de voto entre novembro de 2009 (campo da última pesquisa) e março deste ano. Na região Sudeste, ele caiu três pontos (de 43% para 40%) e na Sul oscilou um ponto (37% para 36%).

Já Dilma cresceu em todas as regiões. Assumiu a dianteira na região Nordeste, com 39% das intenções de voto (subida de 21 pontos percentuais em relação ao último levantamento), encostou em Serra na região Sul, com 34% (subida de 14 pontos), reduziu a vantagem do tucano no Sudeste, atingindo 25% (crescimento de 10 pontos percentuais em relação a pesquisa anterior), e registrou elevação de 4 pontos no Norte/Centro-Oeste, alcançando 22%.

O resultado momentâneo é fruto das ações para alavancar o nome da ministra. Só que é importante ressaltar que ainda estamos muito distantes da eleição e esses votos têm uma certa mobilidade, pois as campanhas não começaram, disse o diretor de operações da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Rafael Lucchesi.

É importante notar que Serra é vitorioso em todos os estratos, exceto entre aqueles que ganham até 1 salário mínimo _e é quando a Dilma faz a diferença, afirmou Lucchesi.

Para ele, não dá ainda para falar em tendências, embora o crescimento de Dilma seja constante. Temos que avaliar o impacto do lançamento das candidaturas e o aumento dessa percepção por parte do eleitorado. O quadro é complexo e dinâmico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.