Dilma passa por quimioterapia em São Paulo

BRASÍLIA ¿ Embora a assessoria da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, tenha informado nesta manhã que a ministra estava em despachos internos, em Brasília, o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, confirmou nesta quinta-feira que Dilma realizou sessões de quimioterapia na instituição.

Carollina Andrade, repórter em Brasília |

No dia 25 de abril, a provável candidata do PT ao Planalto em 2010 informou a descoberta de um linfoma , câncer no sistema linfático, detectado na axila esquerda. O tumor de 2,5 centímetros estava em estágio inicial, segundo os médicos, e foi retirado em cirurgia de 45 minutos no Hospital Sírio-Libanês.

No início da manhã, alguns ministros de Governo já haviam informado à imprensa que a ministra-chefe da Casa Civil não estava no Centro Cultural Banco do Brasil, onde está despachando atualmente. Dilma teria uma reunião pra discutir alguns pontos do Programa de Aceleração do Cresimento (PAC), mas não compareceu.

O tratamento de quimioterapia de Dilma deverá durar quatro meses e será aplicado em sessões realizadas no hospital a cada três semanas.

De acordo com a equipe médica, composta por Roberto Kalil Filho (cardiologista), Paulo Hoff (oncologista clínico), e Yana Augusta Sarkis Novis (hematologista), a ministra não tem "evidência da doença ativa" (não há mais nenhum tumor) e fará a quimioterapia por segurança. Yana enfatizou que, como a doença está no estágio inicial, há grande chance de cura.

Dilma reiterou diversas vezes que irá manter sua agenda "no mesmo ritmo" que mantinha até a descoberta do câncer.


Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG