Em visita ontem a obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em Salvador, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, voltou a defender a ideia de polarização entre PT e PSDB na campanha presidencial de 2010. Porém, a ministra considerou normal a opinião divergente do governador de São Paulo, Jose Serra (PSDB), sobre o tema.

"Acredito no confronto entre os dois projetos, embora isso não desabone os demais candidatos, mas é normal que dois projetos sejam objeto de avaliação do eleitor. Não existe nada de complexo nisso", afirmou Dilma.

A ministra teceu elogios ao deputado Ciro Gomes (PSB-CE), também pré-candidato ao Planalto. Segundo ela, Ciro é um "grande companheiro" que participou do governo Luiz Inácio Lula da Silva e demonstrou "grande solidariedade política" com o governo no primeiro mandato. "Tenho por ele uma grande admiração, então, obviamente, tenho certeza de que estaremos juntos em algum momento. Ciro necessariamente será uma pessoa do nosso campo popular, do nosso projeto. Ele já demonstrou essa intenção."

Sobre a eventual candidatura de Marina Silva (PV-AC), a ministra disse que a senadora tem tudo para também compor com o PT. Diferentemente de sexta-feira, quando afirmou que Marina "não representa mais o projeto Lula", Dilma ontem preferiu ver na senadora uma provável aliada. "Tem tudo para estar com a gente", disse. "Não acredito que ela ficará do outro, não." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.