A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, informou hoje que recebeu duas vezes o advogado e empresário Roberto Teixeira. Ela contou também que, em pelo menos em um desses encontros estava a advogada Valeska Teixeira Martins, filha dele.

Segundo a ministra, nas duas ocasiões, pai e filha conversaram com ela sobre o processo de venda da Varig. A ministra afirmou que os dois encontros foram em "uma sala" da Casa Civil.

Recentemente, a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil Denise Abreu acusou Teixeira - compadre e amigo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva - de ter feito intermediação irregular nas negociações para venda da Varig. Denise Abreu também acusou Dilma de ter feito pressão para acelerar o processo de venda. Sobre a polêmica em torno das negociações relacionadas à venda da Varig, a ministra disse: "Eu participei bastante pouco do processo da Varig."

Procurada, a assessoria de imprensa da ministra havia afirmado que Dilma Rousseff não recebera Roberto Teixeira e Valeska nas dependências da Casa Civil. Segundo a assessoria, Dilma só teria participado de encontros com o advogado e empresário no gabinete do presidente Lula. Hoje, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência informou que Lula recebeu Teixeira seis vezes no Planalto, de agosto de 2006 a abril deste ano.

"Eu acho que há essa escandalização do nada. Querem criminalizar o nada", afirmou Dilma, após solenidade no Palácio do Planalto. A ministra foi questionada sobre o motivo de os dois encontros com Teixeira não terem sido registrados na sua agenda oficial e por que a agenda divulgada por sua assessoria todos os dias "é uma ficção". "Não sei. Vocês me desculpem. A minha agenda não é uma ficção pura. A minha agenda é, em alguns momentos, uma impossibilidade, porque eu tenho, às vezes, três encontros na mesma hora. Chega a ser uma impossibilidade. As informações são públicas. Eu atendo, em média, (por) quase 12 horas por dia."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.