Dilma diz que pode aceitar convite para explicar apagão

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse hoje que pretende aceitar convite da oposição para falar no Congresso sobre a queda nas linhas de transmissão de energia na noite do dia 10. Em entrevista na sede do PT, ela avisou, no entanto, que comentará também o racionamento de energia ocorrido no governo Fernando Henrique Cardoso.

Agência Estado |

"Se for do interesse do governo e do Parlamento, eu irei. Não tenho o menor problema para falar sobre isso", afirmou.

Na entrevista, a ministra disse que a oposição tem "memória curta". Ela afirmou que não dá para comparar o que ocorreu agora, um blecaute de cinco horas, com o problema ocorrido em 2001 e 2002, um racionamento "de cinco horas" por dia em "11 meses". "A diferença são 11 meses", disse. "Estamos conversando sobre coisas que não são comparáveis."

Ela disse que, diferentemente da época do governo tucano, neste Natal não faltará luz nas árvores de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio, do Parque Ibirapuera, de São Paulo, e da margem do Rio Guaíba, no Rio Grande do Sul. "A hipótese de ter árvore de Natal em 2001 era zero porque não tinha energia. Hoje, temos árvores de Natal em todos os Estados da federação."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG