http://images.ig.com.br/ult_us/selo_eleicoes.jpg align=leftApós o presidente Lula ironizar o slogan O Brasil pode mais, do presidenciável tucano, José Serra, foi a vez da candidata do PT, Dilma Rousseff, sem citar nomes, dizer que o governo petista pode provar que fará mais.

"Nós fizemos mais. E fizemos mais e podemos provar e testemunhar que faremos mais", discursou a ex-ministra, referindo-se ao lema de Serra, dito em sua despedida do governo paulista e repetida no lançamento de sua pré-candidatura, em Brasília, na semana passada.

Durante evento com movimentos sociais no Rio Grande do Sul neste sábado, a ex-ministra bateu nos governos anteriores e disse que o PT "enterrou" um País triste.

AE

Dilma participa de evento em Porto Alegre

"Nasceu um novo País. Por mais que eles queiram dizer que há uma continuidade do governo anterior com o nosso governo, cada um sabe aonde doeu o seu calo. (..) Eles querem passar como herdeiros do legado do governo Lula, que foram contra o Bolsa Família dizendo que era bolsa-esmola", atacou a petista.

Dilma chamou de "novo estilo" a aproximação do adversário tucano com o Nordeste, região onde Lula tem aprovação recorde, e questionou elogios da oposição aos programas sociais do governo Lula, como o Bolsa Família. " Se apoiassem tanto nosso governo, por que não apoiaram antes?", perguntou.

A petista aproveitou o encontro, que encerra a sua agenda de três dias no Estado, para explicar novamente a polêmica frase de que ela não foge da luta, dita na semana passada. Muitos participantes do evento interpretaram a frase como uma resposta aos adversários que a chamaram de terrorista por ter militado no Colina, um grupo de resistência à ditadura que defendia a luta armada.

Serra, que era presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) na época do golpe militar de 1964 se refugiou no Chile. Dilma, que iniciou a militância política depois do golpe, aderiu ao Colina, foi presa e torturada.

Hoje, voltou a se explicar. "O que eu quero dizer quando disse que não fujo quando a situação fica difícil é que em cada época da minha vida eu fiz as coisas por convicção e por acreditar. Eu não abandono o barco." 

Dilma listou coisas que não fará "de jeito nenhum". "Eu não apelo. Vocês não me verão por aí usando métodos, falando e difamando adversários. Nem me verão usando expedientes para inventar biografia sobre ninguém. Mesmo quando sobre mim caiam ataques falsos e me difamando", prometeu a ex-ministra.

Sem a presença do presidente Lula e de lideranças nacionais, Dilma discursou para representantes do movimento negro, CUT (Central Única dos Trabalhadores) e lideranças de outros partidos como PCdoB e PDT. Entre os políticos presentes, estavam o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, candidato a governador no Estado e os deputados Henrique Fontana (PT-RS) e Manuela D´Ávila (PCdoB). O também candidato ao governo, José Fogaça, do PMDB, não apareceu.

Ao lado do ex-governador Olívio Dutra, ela relembrou sua trajetória política, iniciada no Rio Grande do Sul. Dilma foi secretária de Dutra durante a sua gestão, em 1998. "Tenho dois Estados nos quais eu me criei: um é Minas e outro é o Rio Grande do Sul", afirmou a ex-ministra. 

Roteiro família

Além da agenda política, que cumpre desde quinta-feira, Dilma aproveitou a viagem ao Rio Grande do Sul para fazer programas familiares. Assim que chegou a Porto Alegre, foi acompanhar a filha Paula no exame de hecografia. Paula está grávida de um menino, que se chamará Gabriel e nascerá em setembro.

Durante encontro com a filha, Dilma entregou um presente da apresentadora Ana Maria Braga: o boneco do Louro José. O boneco do personagem do programa foi entregue a Dilma pela apresentadora na última quarta, durante jantar em São Paulo. "Minha filha adorou o boneco do Louro José.O bebê, que acabei de ver na ecografia, te agradece", postou a petista em seu Twitter.

Dilma deve voltar para Brasília neste domingo, onde não deve cumprir agenda de pré-campanha. Nesta segunda, lançará o seu site e se reunirá com líderes dos partidos aliados para formar o "conselho político" de sua campanha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.