A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, agradeceu as mensagens de apoio e a solidariedade que recebeu das pessoas que torcem por ela neste momento de tratamento do câncer linfático. Após receber alta na tarde de hoje, a ministra afirmou que passou por momentos difíceis neste período de internação.

"Agora me sinto muito bem. Ontem eu estava com muita dor nas pernas porque eu tenho uma reação quando se tira a cortisona", disse ela, explicando que quando o medicamento foi suspenso, teve a forte dor muscular. "Os médicos fizeram os exames e chegaram à conclusão que era isso e me repuseram (o medicamento) em doses bem menores para fazer o que eles chamam de desmame, ou seja, a retirada lentamente."

A ministra afirmou que as dores que sentiu não possuem relação com o ritmo de trabalho na chefia da Casa Civil. "Não tem nada a ver com o ritmo de trabalho, não deriva disso, deriva fundamentalmente disso que a gente não espera, cada pessoa reage de um jeito a certos remédios", disse. Ela contou que conversou ontem por telefone com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Fizemos um despacho básico." Questionada sobre a campanha presidencial de 2010, Dilma afirmou, bem humorada: "Não falo nisso nem amarrada".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.