Dilma defende ações em defesa das mulheres

Depois do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, foi a principal estrela da cerimônia de assinatura dos contratos para a implantação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Dilma foi quase tão aplaudida pelos trabalhadores da obra quanto o presidente ao subir ao palco.

Rodrigo de Almeida, iG Rio de Janeiro |

Pré-candidata do PT à sucessão do presidente Lula, Dilma concentrou seu discurso no papel do governo para o fortalecimento da Petrobras, na ênfase sobre as contratações de conteúdo nacional e na participação da mulher. Agora o Brasil tem presente e futuro. Tem futuro porque tem presente. E tem presente porque o presidente Lula fez aquilo que os outros não fizeram antes, afirmou Dilma.

Lembrando o Dia Internacional da Mulher, a ministra deu exemplo de ações do governo em defesa das mulheres. A segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2, prevê a construção de uma rede de creches, por exemplo. É uma questão de gênero e de igualdade de oportunidades, sublinhou Dilma. Esse é o primeiro 8 de março depois do Bolsa Família, que deu o cartão na mão das mulheres. É o primeiro 8 de março depois do Minha Casa, Minha Vida, que deu preferência às mulheres no financiamento de casas populares, exemplificou.

Segundo Dilma, é hora de acabar com a discriminação no país, expressa no fato de as mulheres receberem um salário pior num cargo igual aos homens.

    Leia tudo sobre: dilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG