continuidade - Brasil - iG" /

Dilma conclama Juventude do PT à continuidade

Apesar de negar que estivesse participando de um ato de campanha, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, compareceu hoje ao encontro da Juventude do PT onde dançou, pulou, tirou fotos com crianças, puxou um coro de palavras de ordem e encerrou seu discurso pedindo apoio para que o projeto petista fosse vitorioso nas eleições de 2010. Eu espero contar com a força desta juventude para que o projeto de continuidade do governo do presidente Lula seja o projeto vitorioso em 2010, afirmou a ministra para uma plateia de cerca de 300 jovens petistas.

Agência Estado |

"Nós teremos muito desafios daqui para frente, mas eu vejo a garra dessa juventude e tenho certeza que essa capacidade de luta, mais uma vez, vai levar o Partido dos Trabalhadores, com sua capacidade de alianças", prosseguiu a ministra, encerrando sua fala da mesma forma como começou, gritando, acompanhada pelos militantes: "juventude petista, esquerda e socialista".

Vestindo camiseta do encontro dos jovens petistas, a ministra Dilma fez um típico discurso de campanha, prometeu um PAC da Juventude, e aproveitou para atacar o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ao comparar este governo com o anterior, Dilma acabou sendo ovacionada pela plateia do seu partido ao citar a dependência do governo anterior do Fundo Monetário Internacional. Os petistas interromperam a fala da ministra e começaram a cantar, acompanhados por Dilma, ao microfone, com uma bandeira do Brasil em punho, que chegou às suas mãos: "eu, sou brasileiro, com muito orgulho".

A ministra permaneceu por cerca de duas horas no Minas Brasília Tênis Clube, onde ocorreu o evento. Antes da reunião, em entrevista, ao ser questionada se a oposição não poderia classificar aquele ato como típico de campanha tanto o futuro presidente do PT, José Eduardo Dutra, quanto Dilma negaram que estivessem ali para com este propósito. "Isso não é um ato de campanha. É um ato de uma instância do PT. O PT tem uma secretaria de juventude e, portanto, é um ato interno do partido, realizado em um ambiente interno", declarou Dutra. "Não é nem um ato de pré campanha. A ministra veio para cá como filiada do PT, como militante do PT, para falar com os militantes jovens do nosso partido".

Dilma, que tinha deixado para Dutra responder, aproveitou para emendar, lembrando que "neste quesito", é mais sintética. "É aquela história de passar o carro na frente dos bois", comentou. "Eu não sou nem pré-candidata", encerrou a ministra.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG