Dilma: com Lula, Brasil voltou a investir em educação

A pré-candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff, acusou o governo anterior ao do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (sem citar o nome de Fernando Henrique Cardoso) de ter proibido a construção de escolas técnicas em cidades e Estados que não estivessem com suas finanças ajustadas e não pudessem arcar com o dinheiro de custeio das escolas. (Escola técnica) Só servia para Estado rico e município muito rico, disse, ao destacar que foi devido à decisão de Lula de voltar a investir em educação que Petrolina tem hoje duas escolas técnicas profissionalizantes, com 2.697 vagas.

Agência Estado |

Dilma acrescentou que também foi graças ao presidente que as universidades do País foram resgatadas, não permitindo que elas fossem sucateadas como acontecia antes de 2003. As declarações da ex-ministra da Casa Civil foram feitas em entrevista à emissora Rural, de Petrolina, no sertão pernambucano.

Mais uma vez a pré-candidata citou o município pernambucano como exemplo desta nova política, com a Universidade Federal do Vale do São Francisco. "Só tem um jeito de melhorar a qualidade da educação, garantindo salário digno e formação continuada para o professor", disse ela, na primeira entrevista à emissora do dia.

Tanto a petista quanto o pré-candidato do PSDB, José Serra, vêm usando a estratégia de dar entrevistas a rádios na pré-campanha para chegar mais perto do eleitor. A Rural é a mais antiga da região do São Francisco e alcança um raio de até 300 quilômetros - parte do sertão pernambucano, do Piauí e do Ceará.

Saúde

Questionada pelo radialista Marcelo Damasceno sobre a avaliação de que o povo brasileiro gasta mais com saúde preventiva e curativa do que os governos federal, estadual e municipal, Dilma responsabilizou a oposição que impôs derrota ao governo Lula ao aprovar a extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), levando a saúde a perder recursos de quase R$ 40 bilhões. "Foi uma atitude eleitoreira da oposição", afirmou, sem deixar de detalhar as ações do governo nesta área.

A ex-ministra voltou a defender o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e aproveitou para falar diretamente aos ouvintes, citando obras realizadas em Pernambuco, Piauí e Ceará - a exemplo da transposição do Rio São Francisco e a ferrovia Transnordestina - e de saneamento. Para demonstrar familiaridade com a região, abordou bairros e áreas de Petrolina beneficiadas com ampliação de abastecimento de água.

Dilma tentou encaixar o maior número de programas e ações do governo Lula nas áreas social e econômica durante uma hora de entrevista e, para provar que está preparada para governar o País, destacou seu envolvimento nas decisões relativas a todas as ações do governo federal que ressaltou.

    Leia tudo sobre: dilmadilma rousseffeleiçõeseleições 2010política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG