O PSDB, o DEM e o PPS divulgaram nota conjunta hoje criticando a homenagem tardia e mal explicada da pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, ao ex-presidente Tancredo Neves. Para a oposição, a petista chegou 25 anos atrasada ao túmulo de Tancredo, em São João Del Rei, onde depositou flores ontem.

As siglas acusam a petista de "encenar" a homenagem durante a pré-campanha em Minas Gerais por "oportunismo".

Dirigentes das três legendas fizeram questão de lembrar que o partido ao qual Dilma aderiu recentemente é o mesmo PT que negou apoio a Tancredo e ao pacto da transição democrática. "Em um erro intransigente, o PT expulsou seus deputados que votaram em Tancredo no Colégio Eleitoral", afirma a nota, destacando em seguida que, "em uma das lamentáveis bravatas oposicionistas", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desprezou a proposta de diálogo entre trabalhadores e empresários formulada por Tancredo.

A oposição cobra o fato de o PT, Dilma e Lula, "com a arrogância habitual", jamais terem se retratado. Lembra também que não houve retratação da negativa de apoio a "outro mineiro", o ex-presidente Itamar Franco, quando este foi "resgatar a democracia brasileira dos descaminhos de (Fernando) Collor de Mello, hoje aliado de Lula e Dilma". Assinam o texto os presidentes do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e do PPS, Roberto Freire.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.