SÃO PAULO (Reuters) - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, admitiu que pode ser pré-candidata do PT à sucessão presidencial no ano que vem, mas garantiu que não está em campanha eleitoral. Pré-candidata qualquer militante do PT é. Sabe aquele negócio que todo mundo tem. Na medida que você é eleitor você pode ser eleito. Então nesse sentido eu sou, disse a ministra a jornalistas.

Dilma participou nesta segunda-feira em Campinas, interior de São Paulo, de encontro com prefeitos da região.

"Tenho bastante simpatia. Acho que qualquer brasileiro ou brasileira tem uma grande simpatia por isso", declarou Dilma ao ser questionada sobre se a pré-candidatura era algo que agradaria a ela.

A ministra salientou que a reunião com prefeitos era um balanço (prestação de contas) e não um "ato eleitoral".

Durante o encontro com prefeitos de ao menos 25 municípios, ela ouviu cobranças e pedidos de investimentos.

Em tom irritado, Dilma afirmou que sua função é fazer a coordenação do governo. "A minha função nesse governo depois de criarmos o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) é fazer uma prestação de contas não só com os prefeitos, mas com a imprensa também, de quatro em quatro meses", declarou.

"Em nenhum momento, ninguém da imprensa disse que isso era um ato político. Seria interessante que agora começasse a ser", acrescentou.

Lula e Dilma participam nesta tarde de cerimônia de inauguração de sistema de esgoto sanitário em Campinas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.