Dias nublados também pedem óculos

Dias nublados também pedem óculos Por Andressa Zanandrea São Paulo, 14 (AE) - O brasileiro está atento aos riscos que a exposição ao sol sem proteção pode causar à pele. Mas a minoria, apenas 6%, sabe que também pode haver problemas futuros nos olhos, como catarata, irritações na córnea e lesões na retina.

Agência Estado |

Na região Sudeste, o número é ainda mais preocupante: apenas 5% dos entrevistados sabem desse risco. Os dados são da pesquisa Transitions/Ibope.

Quem já tem algum problema para enxergar e precisa usar óculos de grau está mais bem informado: 36% dos usuários de lentes corretivas disseram saber dos efeitos nocivos do sol para os olhos. Para o chefe do setor de catarata do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o oftalmologista Newton Kara José Júnior, a pesquisa mostra que é preciso ter mais cuidado com a visão. "Assim como passamos protetor solar, precisamos proteger os olhos, pois o efeito da radiação solar é cumulativo."

Por isso, é importante começar a proteção o mais cedo possível. "Quando a criança sair do carrinho e começar a brincar, já deve começar a usar óculos e boné."

Entre as doenças favorecidas pela exposição solar, a catarata - a maior causa de cegueira reversível - é uma das mais conhecidas e, para ela, há cirurgia. A mais preocupante, porém, é a degeneração macular, segundo o médico. A mácula (parte central da retina, que seria como o filme de uma máquina fotográfica) sofre com o passar do tempo e com a radiação solar e, com isso, vai perdendo a função visual. O combate se dá apenas com a prevenção, pois não há tratamento eficaz para o problema.

Além dos prejuízos aos olhos, a radiação, segundo o médico, pode ocasionar problemas também à pálpebra, que é a pele mais sensível do corpo. Ela pode ser acometida por câncer de pele, por exemplo.

Para proteger os olhos, o "filtro solar" indispensável são os óculos. As lentes, sejam transparentes e de grau, sejam escuras, devem ter proteção ultravioleta. "Além de filtrar a radiação que possa ir para a mácula, o óculos vai proteger a córnea, a conjuntiva e a pálpebra", afirma José Júnior.

Os óculos sem proteção, no entanto, são um perigo: fazem com que a pupila dilate, entrando mais luz no olho, favorecendo ainda mais lesões. Não dá para se descuidar nem nos dias nublados, em que também há radiação ultravioleta, lembra o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier.

Quem usa óculos de grau deve se assegurar se as lentes têm proteção contra os raios UVA e UVB: estudo recente feito pelo oftalmologista com 223 pacientes com idades acima de 50 anos mostrou que 42% usavam lentes corretivas, mas 70% dos óculos não tinham proteção.

Uma boa saída para quem se incomoda em usar óculos escuros em dias com menos luminosidade são as lentes mais claras, em tons de cinza, verde e lilás, também com proteção. "A cor da lente interfere apenas no conforto", explica Queiroz Neto.

MIOPIA É O MAIS COMUM
Outra pesquisa, a Health Sight Study, feita em oito países, revelou que 75% dos brasileiros relataram ter problemas de visão. O mais comum é a miopia, que acomete 37% da população. O astigmatismo ficou em segundo lugar, com 30%, e a sensibilidade a luminosidade em terceiro, com 19%. O estudo ouviu 1007 pessoas, de todas as regiões do País.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG