Diária à filha de Guerra é lícita, diz diretor do Senado

BRASÍLIA - Em ofício encaminhado ao presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), o diretor da Secretaria de Controle Interno do Senado (SCINT), Eduardo Torres, afirma que o pagamento de diárias de uma viagem a Nova York feita pela filha do parlamentar, Helena Olympia, não foi ilícito.

Redação com Agência Estado |

Nesta segunda-feira foi divulgado que a filha de Sérgio Guerra - a advogada Helena Olympia de Almeida Brennand Guerra - foi aos Estados Unidos em fevereiro de 2007 e gastou R$ 4.580,40 em diárias pagas com dinheiro público. Ela acompanhava o pai, que fora aos Estados Unidos fazer exames médicos. Sérgio Guerra afirma que nunca lhe foi cobrada a devolução do dinheiro.

Ainda em 2007, um relatório feito por um técnico da SCINT pediu a devolução dos recursos por Sérgio Guerra, mas o então diretor da secretaria, Shalom Einstoss Granado, ao analisar o documento, decidiu não pedir o ressarcimento ao senador por entender que o pagamento das diárias a Helena Olympia havia sido correto.

No ofício enviado hoje a Sérgio Guerra, Eduardo Torres explica que a administração do Senado não pediu a devolução do dinheiro gasto em viagem de Helena Olympia "por entender não remanescer dúvida quanto à sua licitude, haja vista a configuração de imperiosa necessidade de acompanhar o agente público em viagem a bem de sua higidez física".

Eduardo Torres afirma que o ex-diretor Shalom Granado se baseou, para dispensar o senador do ressarcimento, em ato da Mesa Diretora que permite ao Senado pagar "despesas de alimentação e pousada de colaboradores eventuais, previstas no artigo 4º da Lei Nº8.162, de 8 de janeiro de 1991, quando fora de Brasília".

    Leia tudo sobre: passagempassagens aéreassenadosérgio guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG