Diabéticos não sabem como usar produtos diet e light, indica pesquisa

Uma pesquisa feita com pacientes com diabetes mellitus tipo 2 revelou que, apesar dessas pessoas consumirem produtos diet e light com frequência, elas não têm o hábito de ler o rótulo, nem controlar a quantidade utilizada. A nutricionista Paula Barbosa de Oliveira, autora do estudo da Universidade de São Paulo (USP), alerta que o consumo excessivo desses produtos pode interferir no controle glicêmico, com prejuízos para a saúde.

Agência Estado |

"As pessoas com diabetes precisam restringir o uso de açúcar. Se o consumo for consciente, esses produtos podem facilitar a adesão ao tratamento e melhorar a qualidade de vida, suprindo as necessidades de doces", avalia.

Os produtos mais consumidos são os adoçantes líquidos, que costumam ser escolhidos pelo sabor. No entanto, os pacientes desconhecem informações importantes, como a necessidade de se fazer um rodízio de adoçantes, conforme recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esse rodízio é recomendado para evitar o acúmulo de uma determinada substância no organismo. “Existe um limite diário recomendado pela OMS para cada edulcorante”, orienta Paula.

A pesquisadora também ressalta que é necessário explicar o uso adequado de adoçantes e produtos dietéticos nas atividades assistenciais nos diversos níveis de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Uma das informações úteis é a diferença entre diet e light: alimentos diet não possuem algum dos nutrientes do produto convencional, como o açúcar, sódio ou gordura, por exemplo. Já o light é aquele que apresenta uma redução de, no mínimo, 25% do valor energético total ou de algum nutriente presente no produto convencional.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG