BRASÍLIA - A Comissão Intersetorial de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes promoverá nesta segunda-feira (18) atividades em todo o País para alertar a sociedade contra abusos e violência sexual praticados contra crianças e adolescentes. As ações farão parte do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que tem como objetivo sensibilizar e mobilizar população, governos e mídia para esse problema.

    Como parte das atividades, as entidades governamentais e não governamentais que integram a comissão iniciam campanha de esclarecimento que terá como slogan Negociar Sexo com Crianças e Adolescentes é Crime. Denuncie. O coordenador de campanhas da Childhood Brasil (Instituto WCF Brasil), Itamar Gonçalves, afirmou, em entrevista à "Rádio Nacional", que a campanha deste ano se concentrará nos abusos praticados contra menores nas rodovias brasileiras.

    Este ano, com muita intensidade, nós queremos destacar que há essa situação de exploração de adolescentes e de crianças nas estradas brasileiras, em espaços privados. Nós queremos dar visibilidade para essa situação de violência e dizer que isso é crime, que está previsto no Código Penal e no Estatuto da Criança e do Adolescente, disse o coordenador da WCF Brasil, entidade que integra a comissão intersetorial.

    Em todo o País estão previstas atividades como distribuição de panfletos em hotéis, táxis e locais turísticos. Em Recife, Fortaleza, Salvador, Belém, Belo Horizonte e Porto Alegre será exibido o filme "Cinderelas, Lobos e Príncipes", que mostra a realidade de milhares de crianças e adolescentes submetidos à exploração sexual.

    Levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome mostra que as regiões Sul e Sudeste contam com uma estrutura melhor de atendimentos às crianças vítimas da pedofilia. Dos 2,4 mil abrigos existentes no País para acolher essas crianças, 1.360 estão no Sul e Sudeste.

    Leia mais sobre: abuso sexual

      Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.