Dezoito presos morrem em rebeliões no Maranhão

Mortes foram registradas em dois motins no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Três agentes são reféns

Márcio Apolinário, especial para o iG |

Dezoito pessoas morreram em dois motins no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, no Maranhão. O pior deles, no Anexo III do Presídio São Luís, registrou quinze mortes. Dos cinco agentes penitenciários feitos reféns, dois foram libertados por volta das 12 horas desta terça-feira. Na Central de Custória de Presos, outros dois detentos foram mortos pela manhã.

A rebelião no Anexo III do Presídio São Luís durou mais de 28 horas. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), uma briga entre facções, dentro do presídio, teria motivado o início do motim, quando os presos dominaram um agente penitenciário que fazia a vistoria.

Ainda segundo a SSP, dois negociadores atuam nas conversas com os rebelados. Os agentes penitenciários Ivo Vagner de Mesquita Melo e Manoel Costa de Jesus Filho foram libertados. Outros três continuam em poder dos presos - Carlos de Araujo, Daniel Pereira Rodrigues e José da Conceição.

A SSP informou ainda que as principais exigências dos presos são a substituição do diretor da penitenciária, Luis Henrique Pena de Freitas, pedido que está em análise; a manutenção no sistema de abastecimento de água; e a aceleração no processo de análise das ações judiciais dos detentos. Eles também alegam que existem muitos presos em situação irregular.

O governo do estado informou que acompanha as negociações entre os rebelados e representantes da Secretaria de Segurança, da Secretaria dos Direitos Humanos, do Judiciário e do Ministério Público. A governadora Roseana Sarney conversou, durante a tarde de segunda-feira, com o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, para pedir apoio na condução das negociações com os presos rebelados.

Todas as vítimas cumpriam pena por estupro e ao menos três delas foram decapitadas. Os corpos foram entregues à Polícia em troca de alimentos. De acordo com a SSP, três corpos foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML).

Rebelião na Central de Custódia de Presos

A rebelião na Central de Custódia teve início por volta das 9 horas desta terça-feira. Três presos foram mortos. Segundo a Secretaria de Segurança, o cancelamento do banho de sol por conta do motim no presídio São Luís teria motivado o rebelião. Os homens da Tropa de Choque entraram na penitenciária e conseguiram controlar os presos.

    Leia tudo sobre: rebeliãomaranhãomortossegurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG