Dez grandes personalidades que morreram em 2008

Seguem abaixo as dez principais personalidades que faleceram em 2008:

AFP |

= POLÍTICA =

- SUHARTO: em 27 de janeiro, aos 86 anos - "o pai do desenvolvimento da Indonésia", acusado de ser o líder mais corrupto do mundo. Responsável por uma repressão anticomunista que deixou de 500.000 a um milhão de mortos (1965-1966), o ex-ditador, cassado em 1998 após 32 anos no poder, nunca foi pego pela Justiça.

= CULTURA =

- JULES DASSIN: em 31 de março, em Atenas, aos 96 anos - o cineasta americano explorou todos os gêneros da Sétima Arte. Vítima do macartismo, deixou seu país em 1950 e se instalou na Grécia, onde se engajou contra a "ditadura dos coronéis" (1967-1974). O autor de "Nunca aos domingos", do qual foi roteirista e protagonista, ao lado da atriz Melina Mercouri, sua mulher, era pai do cantor Joe Dassin, falecido em 1980.

- CHARLTON HESTON: em 5 de abril, em Beverly Hills, aos 84 anos - o ator e comediante americano ficou famoso por épicos, como "Ben-Hur", que lhe valeu o Oscar de melhor ator em 1959, e "Os Dez Mandamentos". Comprometido com a luta contra o aborto e defensor do uso de armas, ele terminou sendo vítima do mal de Alzheimer.

- AIMÉ CÉSAIRE: em 17 de abril, aos 94 anos - nos anos 1930, o escritor martinicano criou, junto com o senegalês Léopold Sédar Senghor e com o guianense Léon-Gontran Damas, o conceito de "negritude", que se traduz na consciência e no orgulho de ser negro. "O rebelde", presente na política da Martinica por meio século, foi enterrado com honras especiais por parte do governo francês.

- ROBERT RAUSCHENBERG: em 13 de maio, aos 82 anos, na ilha Captiva, na Flórida, onde vivia - esse herdeiro americano de Marcel Duchamp marcou, nos anos 1950, a transição entre o expressionismo abstrato e a "pop-art". Pintor, escultor, coreógrafo, fotógrafo e compositor, ele é um dos artistas mais cotados no mercado de Arte Contemporânea.

- YOUSSEF CHAHINE: em 27 de julho, aos 82 anos - o mais famoso cineasta egípcio, nascido na cosmopolita cidade de Alexandria, produziu uma obra intimista e politicamente engajada. Tendo o Egito como pano de fundo, nunca deixou de evocar seu país, memórias e suas idéias de esquerda e antiislamitas. Sua obra lhe valeu, em 1997, o Prêmio do 50º Aniversário do Festival de Cannes, após ganhar um Urso de Prata no Festival de Berlim.

- ALEXANDRE SOLJENITSIN: em 4 de agosto, em Moscou, aos 89 anos - o escritor russo revelou o caráter concentrador do sistema soviético em "Um dia na vida de Ivan Denissovitch" (1962), "O primeiro círculo" e "O arquipélago do Gulag". Prêmio Nobel de Literatura em 1970, perdeu sua cidadania soviética em 1974 e foi expulso da antiga URSS. Viveu na Alemanha, na Suíça e, depois, nos Estados Unidos, antes de voltar para a Rússia, em 1994, após a queda da União Soviética.

- PAUL NEWMAN: em 27 de setembro, aos 83 anos, em Connecticut (EUA), vítima de um câncer - o ator americano, casado há 50 anos com a também atriz Joanne Woodward, era reconhecido por seu talento e por suas atividades humanitárias. Além de defender os direitos civis, o desarmamento nuclar e a ajuda às crianças com câncer, lutava contra as drogas e o álcool entre os jovens.

- MIRIAM MAKEBA: em 10 de novembro, aos 76 anos, no final de um show, perto de Nápoles - a cantora sul-africana era um dos símbolos da luta contra o Apartheid. "Mama África" foi a primeira negra a receber um Grammy, compartilhado com o cantor americano Harry Belafonte, em 1965.

= MODA =

- YVES SAINT LAURENT: em 1º de junho, aos 71 anos - o grande estilista francês deu uma nova liberdade às mulheres, criando um prêt-à-porter (uma novidade para as "maisons") inspirado nas peças do vestuário masculino, como smoking, casaca, túnicas e terno. Conheceu a glória desde seu primeiro desfile na Christian Dior, ao qual sucedeu em 1957.

vm/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG