Detrans aplicam multas por velocidades impossíveis

Um advogado catarinense foi multado por dirigir um Gol a 4.800 quilômetros por hora, equivalente a quase quatro vezes a velocidade do som, de 1.250 quilômetros por hora. Jucelei Tavares Menezes foi autuado pela ¿infração¿ em 2001, em Blumenau, no Vale do Itajaí de Santa Catarina.

Redação |


De acordo com o flagrante, Jucelei teria passado por um hospital de Blumenau, cidade onde mora, a uma velocidade duas vezes maior que a de um jato Concorde, que saiu de operação em 2003 e voava a velocidades que variavam entre 2.300 e 2.600 quilômetros por hora.

Ele foi atuado em R$ 102,15 por excesso de velocidade, pois o limite permitido na região do hospital era de 40 quilômetros por hora. Jucelei dirigia um Gol edição especial Rolling Stone.

O advogado não chegou a recorrer da multa. Bem humorado, ele guardou a autuação como recordação. O Gol que dirigia em 2001 foi vendido.

Engenheiro de alimentos dirigia na velocidade de um avião comercial

O caso veio à tona quatro dias depois da divulgação de que o engenheiro de alimentos Rafael de Andrade foi multado por dirigir a 880 quilômetros por hora na Estrada Francisco da Cruz, em Niterói, no ano de 2006. A velocidade máxima na via ¿ que possui três radares - é de 60 quilômetros por hora. Um avião comercial pode alcançar 900 quilômetros por hora.

Rafael, que mora em Brasília, se recusou a pagar a multa de R$ 127,69 ao Detran do Rio de Janeiro e, por causa disso, não conseguiu regularizar o IPVA de seu veículo. O documento só será liberado se ele pagar o valor.

De acordo com o Sistema de Monitoramento de Infrações de Trânsito da prefeitura de Niterói, o dado que consta no banco de dados do Detran do Rio é de que o engenheiro trafegava a 88 quilômetros por hora e tudo indica que o Detran de Brasília informou uma velocidade errada ao motorista.

Leia mais sobre: trânsito

    Leia tudo sobre: multas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG