Desmontado esquema de desvio de cartões de crédito

Em vez de devolver aos Correios os cartões de créditos e bancários de correntistas cujos endereços foram alterados, cinco carteiros desviavam e vendiam o material para estelionatários. Os funcionários e o parceiro Marcos Souza Silva, de 37 anos, foram presos e autuados em flagrante.

Agência Estado |

Outros seis integrantes do bando foram identificados e indiciados em inquérito. A quadrilha causou prejuízo de R$ 5 milhões às instituições financeiras.

A equipe do delegado Luiz Augusto Storni, da Unidade de Inteligência Policial (UIP) do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), descobriu o golpe ao investigar um estelionatário. Os policiais apuraram o envolvimento de Silva e também o endereço dele, na Rua Sena Grego, em São Miguel Paulista, zona leste da capital paulista, onde foram cumpridos ontem mandados de busca e prisão.

Na casa de Silva, policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG) da 7ª Delegacia Seccional (Itaquera), chefiados pelo delegado Jair Ortiz, apreenderam diversos cartões de crédito e talões de cheques. Encontraram ainda uma pistola calibre 635 e munição para revólver calibre 38.

Segundo Ortiz, o acusado confessou o crime e afirmou que cinco funcionários dos Correios participavam do esquema. No Setor de Triagem de Correspondências dos Correios, na zona oeste, foram presos ontem os carteiros Marcelo Cardoso Barreto, de 34 anos; Alexandro Silva de Almeida, de 31; Sérgio de Oliveira Rodrigues, de 33; Carlos Alberto Dario, de 21; e Oséias de Campos Francisco, de 27 anos. "Eles vendiam cada cartão de crédito por R$ 500", afirmou o delegado.

Os cartões vendidos eram aqueles que haviam sido enviados a correntistas que tinham mudado de endereço. Os carteiros desviavam o material e revendiam os cartões para Sérgio Santos da Silva, Ricardo Romero e Cleber Nogueira. A Polícia Civil informou que esses três contavam ainda com a ajuda de Débora Abdala Teixeira Neto, Cristiane Pereira da Silva e outra garota, para desbloquear os cartões. As mulheres são funcionárias de um banco. Ricardo namorava uma delas. A quadrilha pagava R$ 30 por cartão desbloqueado.

Os carteiros foram autuados por estelionato e formação de quadrilha. Silva foi autuado pelos mesmos crimes e também por receptação e porte ilegal de arma. Os outros três rapazes e as três moças vão responder ao processo em liberdade. Storni contou que os bancos sofreram prejuízo de R$ 5 milhões em dois anos. A quadrilha, no entanto, ainda aplicou golpes de R$ 50 mil nos últimos seis meses - os estelionatários faziam compras com os cartões desbloqueados.

Correios

O delegado Luiz Augusto Storni também explicou que a quadrilha tinha preferência pelos cartões de crédito porque o golpe só era descoberto quando o banco enviava a fatura para a casa dos clientes.

De acordo com investigadores da 7ª Seccional, os Correios informaram à polícia que os cinco carteiros vão permanecer afastados dos quadros da empresa até a conclusão das investigações.

    Leia tudo sobre: fraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG