Desmatamento reduziu participação nas emissões do país, diz Minc

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, afirmou nesta quinta-feira que o desmatamento das florestas será responsável por uma parcela menor das emissões brasileiras de dióxido de carbono, principal gás que provoca o efeito estufa, por conta da queda do desmatamento e do aumento de outros tipos de emissões. Apesar de ainda não ter dados oficiais, Minc afirmou que a participação da indústria e da queima de combustíveis fósseis nas emissões do país vai subir de 18 por cento em 1994 para cerca de 25 e 30 por cento.

Reuters |

"Florestas ainda serão o grande emissor. Não será mais 75 por cento como foi em 1994, mas seguramente cairá para algo entre 60 por cento", afirmou o ministro em coletiva de imprensa.

O Brasil quer tomar a liderança entre os países em desenvolvimento na temática da redução de emissões de gases que levam ao aquecimento global na reunião da Organização das Nações Unidas em Copenhague, em dezembro, que abordará especialmente este assunto.

"Vai ser mais expressiva a importância da atuação e do esforço de reduzir emissões relacionadas a energia e indústrias", disse o ministro.

Minc apresentou o relatório de estimativas de emissões atualizadas para o ano de 2007 de CO2 dos setores de energia e indústria. O estudo foi realizado pela Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do ministério.

Segundo o relatório --que também abarca os setores residencial, público e de transporte--, as emissões de CO2 nestes segmentos aumentaram 49 por cento no período de 13 anos. O nível de emissões da indústria variou 77 por cento.

De acordo com o ministério, esse relatório não representa um inventário de emissões no Brasil, o que ainda está sendo preparado.

Minc destacou que a matriz da energia elétrica brasileira continua sendo uma das mais limpas do mundo, pois se baseia em hidrelétricas. Mas ponderou que a energia elétrica "ficou mais suja", pois a sua geração a partir de termelétricas aumentou 71 por cento frente ao aumento de 122 por cento das emissões do gás.

"Fica bem evidente que é um setor que nós temos que olhar com cuidado", afirmou a secretária de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental, Suzana Kahn.

O setor de transportes também é um dos principais responsáveis por emissões, tendo aumentado 56 por cento de 1994 a 2007. O transporte rodoviário emite 90 por cento do total de CO2 emitido pelo setor, enquanto os transportes ferroviário, aéreo e hidroviário emitem os 10 por cento restantes.

Minc avaliou que é preciso fazer frente ao aumento de emissões no setor de transporte rodoviário com investimentos em carros flex e transporte público. O aumento na proporção de biodiesel no diesel e esforços na construção de hidrovias e ferrovias também foram considerados pelo ministro.

Segundo Minc, vai a voto no Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) novas regras para a emissão de veículos leves e comerciais leves. Na esteira do transporte, também está sendo estudada a obrigatoriedade de inspeção e manutenção de carros em todos os Estados brasileiros.

(Reportagem de Ana Paula Paiva)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG