Desmatamento na Amazônia cresce 29%

A Amazônia registrou um desmatamento de 185 quilômetros quadrados em fevereiro, um índice 29% superior ao mesmo período de 2009. O Ministério do Meio Ambiente atribuiu o aumento às mudanças meteorológicas, com redução da área coberta de nuvens, o que permite captação melhor das imagens pelo Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter).

Agência Estado |

A expectativa é de que nos próximos meses esses índices possam apresentar ainda uma ligeira elevação. Tanto pela melhora das condições meteorológicas quanto pela chegada do período em que tradicionalmente há aumento da atividade de desmatamento.

Apesar do desempenho registrado em fevereiro, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse estar confiante sobre o ritmo de queda de desmatamento no País. Dados do Deter revelam que 1.352 quilômetros quadrados de floresta foram derrubados entre agosto de 2009 e fevereiro de 2010. Um índice 51% menor do registrado no período entre agosto de 2008 e fevereiro de 2009: 2.781 quilômetros quadrados.

Com novos índices agora coletados, a expectativa do Ministério é de que muito rapidamente o País consiga reduzir o desmatamento para a marca de 6,5 mil quilômetros quadrados anuais - algo que estava previsto para ser atingido apenas em 2015.

Em fevereiro, a área de cobertura de nuvens na Amazônia foi de 57%. Nessa região encoberta, o sistema Deter não consegue verificar se houve desmatamento. Em fevereiro de 2009, a área de cobertura de nuvens foi maior, 80%. Dados divulgados hoje mostram ainda que o Deter detectou em janeiro 23 quilômetros de desmatamento. No mês, 69% da área analisada estava coberta por nuvens. Em dezembro, dados não foram divulgados justamente porque toda a área estava encoberta.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG