Deslizamentos deixam ao menos 16 mortos em Angra dos Reis, no Rio

Deslizamentos de terra deixaram pelo menos 16 pessoas mortas na região de Angra dos Reis, no litoral do Rio de Janeiro. Em Ilha Grande, onde a situação é bastante crítica, corpos foram retirados de uma pousada que ficou totalmente soterrada após um deslizamento. No continente, outras cinco pessoas morreram no Morro da Carioca.

iG São Paulo com Agência Estado |


Reprodução
Pousada Sankai na praia do Bananal
Pousada Sankai na praia do Bananal

Na madrugada desta sexta-feira, a Pousada Sankai e casa vizinhas, na Praia do Bananal, foram soterradas por um barranco. Segundo estimativas da Prefeitura de Angra dos Reis cerca de 65 pessoas, entre hóspedes e funcionários, estavam na pousada de luxo no momento do desabamento.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros e subsecretário estadual de Defesa Civil, Pedro Machado, afirmou que mais de 100 homens trabalham no resgate e na busca por vítimas - são 80 bombeiros e 20 homens das polícias Militar e Civil, além da Marinha.

Ainda segundo Machado, as chances de resgatar as vítimas com vida são muito pequenas. Como a pousada e as casas vizinhas - que também foram atingidas - estão debaixo de toneladas de lama, o resgate é mais difícil porque não é possível utilizar equipamentos pesados para não correr o risco de o terreno ceder. Os bombeiros fazem um trabalho manual com pás e picaretas. Os corpos estão sendo levados para o Instituto Médico-Legal (IML) de Angra dos Reis.

Morro da Carioca

Já no Morro da Carioca, em Angra, pelo menos 20 casas foram atingidas por um deslizamento de terra e cinco pessoas morreram. Segundo os bombeiros, outras dez pessoas foram socorridas com vida. Os feridos estão sendo levados para o pronto-socorro da cidade.

A região de Angra e Paraty foi muito atingida pela chuva. Uma queda de barreira interditou os dois sentidos da BR-101 (Rio-Santos). Também houve deslizamentos em pelo menos outros quatro pontos da rodovia, um deles nesta manhã, bem próximo à entrada de Angra. O prefeito da cidade, Tuca Jordão, declarou estado de calamidade na cidade e suspendeu a realização hoje da tradicional procissão de barcos. A Polícia Rodoviária Federal recomenda que os motoristas evitem a rodovia.

O Estado do Rio de Janeiro contabiliza 36 mortos em razão das fortes chuvas que atingem a região desde a última quarta-feira (30).

Veja no mapa a localização da praia do Bananal, atingida pelos deslizamentos :

Visualizar Ilha Grande em um mapa maior

Rio de Janeiro

Apesar da trégua na noite de ontem, após um dia inteiro de intensa chuva, ainda há pontos de alagamento na região metropolitana do Rio, principalmente nos municípios da Baixada Fluminense. Em Duque de Caxias, quase duas mil pessoas tiveram que deixar suas casas. Na capital, o prefeito Eduardo Paes decretou estado de alerta, após a queda de mais de 100 barreiras. Também há 17 imóveis com risco de desabamento.

O prefeito pediu que as pessoas que moram em áreas de risco saiam de suas casas por conta do risco de deslizamentos. Segundo ele, a zona norte da cidade foi a mais atingida.

Leia mais sobre: chuvas

    Leia tudo sobre: chuvasilha granderiosankai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG