Deslizamento interdita passagem para clínica e cabos soltos preocupam moradores

Uma das clínicas particulares mais conceituadas do Rio ficou isolada na Gávea. Na rua João Borges, uma barreira fechou a passagem até para pedestres. Cabos ficaram soltos e expostos em meio aos galhos, troncos e bambus que despencaram, derrubando um muro da casa número 159. Nesta residência, o deslizamento derrubou também o poste de luz, mas ninguém ficou ferido.

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

Vicente Seda
Cabos ficam soltos e expostos ao lado de um clínica

O motorista particular Lindomar Dias, de 33 anos, mora em Belford Roxo mas passa a semana no local de trabalho, a casa 159. Ele acordou com um estrondo às 3h30 e ouviu outro, cerca de meia-hora depois. Ao sair para ver o que havia ocorrido, a árvore que ficava em frente à casa estava no meio da rua, com um bambuzal por cima e muita terra espalhada no chão.

Vicente Seda

"Foi assustador o barulho. Trabalho aqui há 16 anos e nunca vi nada parecido. Não atingiu a casa, mas caiu poste, muro, estamos sem luz, telefone...", contou.

Vicente Seda

O socorro não veio da Light, dos Bombeiros ou da Defesa Civil. Quem trabalhava no local eram funcionários da Clínica São Vicente, que fazem a manutenção da vegetação. Com motosserra e serrotes, o funcionário que se identificou apenas como Fernando começou o trabalho por conta própria, preocupado com os cabos de alta tensão.

Vicente Seda
Com serrote, funcionário começa trabalho

"Chamamos Bombeiros, Defesa Civil, pedimos à Light para desligar os cabos, mas até agora nenhum deles pôde nos atender. A própria clínica nos mandou para cá. Há fios de 13.000 volts expostos e qualquer outro desabamento pode complicar. Não sabemos até quando vai aguentar com a chuva", disse.

Vicente Seda
cabos exposto: perigo para os moradores

Na Marquês de São Vicente, também houve um pequeno deslizamento em uma casa perto de uma encosta. O barro chegou à via principal e a lama derrubou cabos de telefone e televisão. "Os de luz estão arriados, mas não caíram", explicou o porteiro João Batista, de 52 anos.

De acordo com relatos de moradores, também houve queda de uma grande árvore nas proximidades da Escola Parque, impedindo a passagem de veículos.

    Leia tudo sobre: chuvachuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG