Desinteligência leva à judicialização da política, aponta Gilmar

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, disse nesta sexta-feira, numa coletiva para fazer o balanço das atividades da corte em 2008, que a judicialização da política decorre das desinteligências dos próprios políticos. Para ele, o diálogo entre os poderes está sendo de alto nível mas a comunicação ainda precisa ser melhorada para evitar conflitos.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

"Em conflito político é um dos contendores que normalmente traz o tema. A judicialização da política decorre das desinteligências dos próprios políticos", disse.

O presidente comentou que o Supremo precisa se pronunciar sempre que houver demora para a resolução de temas constitucionais que possam ser resolvidos pelo Congresso, e que hoje isso não acontece. Ele defendeu a criação de canais de comunicação para evitar tais situações.

"A verdade é que nós temos tido diálogo em alto nível com o presidente da Câmara, do Senado e da República. Nós estamos tratando de resolver um ponto bastante sensível nesta relação, que é a relação da omissão constitucional, como fazer a comunicação e como estimular as casas a ter procedimento especial para afastar a mora [demora na resolução de situação] inconstitucional", disse.

Leia mais sobre: Supremo Tribunal Federal

    Leia tudo sobre: gilmar mendesstf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG