Réplicas gigantes do famoso perfume Chanel número 5 enfeitaram a passarela tomada de vestidos com grandes caudas, ombros largos e chapéus no desfile de Alta Costura para o próximo inverno do Kaiser da moda, Karl Lagerfeld, para Chanel, na noite de terça-feira no Grand Palais, em Paris.

Nesta era de recessão global, esta foi uma lembrança do produto que menos sofreu com a crise: os perfumes, um assunto muito bem estudado por Coco Chanel, que viu na fragrância uma grande fonte de renda e reconhecimento de sua maison.

Na passarela, Lagerfeld fez uma releitura de outro clássico da Chanel, o tailleur de tweed. Os blazeres aparecem com modelagem mais larga, seguindo uma tendência das últimas temporadas, que relançaram a moda "Boyfriend", utilizando peças masculinas como jeans e blazeres mais largos no guarda-roupa feminino, uma releitura da volta dos anos 80 tão celebradas nas passarelas mundiais.

As saias aparecem mais longas, assim como os vestidos, com longas caudas como pavões. "Favorece as pernas e não tem os inconvenientes dos grandes vestidos para bailes que não acontecem mais", afirmou Karl Lagerfeld.

Os casacos receberam o mesmo tratamento, com costas muito largas, algumas enfeitadas com pele e tule. Alguns looks tinham ângulos pontudos como fraques, contrastados com femininos chapéus cloche de renda e babados nas camisas.

Os vestidos coquetel apareceram assimétricos, em cetim azul-escuro e preto e caudas curvas, bordados com contrastes de escarlate e fúcsia. Os vestidos de noite foram também bordados, com paetês e canutilhos brilhantes. Um vestido preto aparece com ombros incrustados com tachas de metal e pérolas como uma farda militar.

Os cabelos eram longos e bufantes, alguns de loiros muito claros, adornados com os chapéus cloche e véus que cobriam os rostos das modelos, alguns enfeitados com tons de prata e pérola. "São casquetes (pequeno chapéu) de renda", "uma espécie de véu" que "cria o mistério", disse o estilista.

"Nosso nome já foi muito mostrado nas telas", declarou Lagerfeld sobre os diversos filmes realizados recentemente sobre a vida de Coco Chanel. "Herdei uma imagem que às vezes não é a que eu queria" e "quiz limpar um pouco" com esta coleção de "depuração gráfica" e "mais Chanel que nunca", acrescentou.

Os acessórios marcantes da maison Chanel na era Lagerfeld, como o laço preto, as luvas e ankle boots (botas na altura dos tornozelos) não ficaram de fora.

O desfile de Ricccardo Tisci para Givenchy teve inspiração na África do Norte e Oriente Médio, presente nos bordados, em múltiplas golas douradas, em rostos ornados com correntes douradas, cobre e prateadas, na calça saruel (de modelagem larga e gancho baixo) bordada com paetês pretos, dourados e de jade e nas pedras fake de um longo vestido branco.

Os cristais também apareceram em cores inesperadas, como pink, verde e laranja fluorescente, misturados com cones metálicos polvilhados em vestidos de noite rosa-pink.

sd/ss/har/cr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.