Desembargadora revoga decisão que anulou união homoafetiva em Goiás

Decisão do juiz Jerônimo Pedro Villas Boas, de anular o contrato de união estável de Liorcino Mendes e Odílio Torres, foi anulada

AE |

selo

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) revogou, nesta terça-feira, a decisão do juiz Jerônimo Pedro Villas Boas, de anular o contrato de união estável, firmada por Liorcino Mendes e Odílio Torres, no mês passado.

A decisão é da desembargadora Beatriz Figueiredo Franco, horas após ter requisitado o processo "para examinar as providências a serem tomadas no caso". A desembargadora também é a corregedora-geral da Justiça. 

Já o juiz Jerônimo Pedro Villas Boas, titular da 1ª Vara da Fazenda Municipal e de Registros Públicos de Goiânia, voltou a recusar dar entrevistas. Foi ele quem determinou aos tabeliães e oficiais de registro civil de Goiânia para não procederem à escritura pública das uniões estáveis homoafetivas. Pelo menos, antes do trânsito em julgado das respectivas sentenças. 

O Tribunal, no entanto, informou hoje que o juiz Thiago Bertuol de Oliveira, da 11ª Vara Criminal de Goiânia, concedeu o reconhecimento de união estável homoafetiva entre Zelmi Silva Mateus e Túlio Henrique Muniz, que vivem juntos a cerca de 12 anos. O reconhecimento, segundo o tribunal, ocorreu no último dia 18.

    Leia tudo sobre: união estável homossexualgoiânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG