Descoberta múmia que seria de rainha do Egito antigo

Os serviços arqueológicos egípcios anunciaram, nesta quinta-feira, a descoberta de uma múmia que pode ser a rainha Sesheshet, mãe de um faraó que reinou 2.000 anos antes da nossa era.

AFP |

Os restos mumificados foram encontrados em um sarcófago no interior de uma pirâmide em Saqqara, 20 km ao sul do Cairo, anunciou o chefe do Conselho Superior das Antiguidades Egípcias (CSAE), Zahi Hawass.

O sarcófago, que parece ter sido pilhado, foi descoberto em uma câmara funerária de 22 metros de comprimento por quatro de largura, revelou.

"Acreditamos que esses são os restos da rainha Sesheshet, principalmente, porque a pirâmide não foi construída para ser um edifício religioso, mas como um local de sepultura", explicou Hawass à AFP, acrescentando que os arqueólogos também encontraram moedas gravadas com hieróglifos e braceletes de ouro.

A rainha Sesheshet era mãe do faraó Teti, primeiro rei da 6ª dinastia do Antigo Império, que reinou no período de 2.311-2.300 a.C.

ra/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG