Descoberta fraude de R$ 1,3 mi no transporte de SP

Cerca de 80 motoristas e cobradores do consórcio Intervias foram demitidos em agosto acusados de desviar dinheiro arrecadado com passagens na região metropolitana de São Paulo. O prejuízo aos cofres públicos pode ser de R$ 1,3 milhão por mês, segundo informações Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU).

Agência Estado |

A fraude foi descoberta em junho, com a denúncia de uma usuária do serviço intermunicipal, que não quis se identificar.

Segundo ela, o pagamento em dinheiro dos usuários era embolsado por motoristas e cobradores, que convenciam os passageiros a saírem pela porta da frente, sem precisar passar pela catraca. A quadrilha operava em 16 linhas de ônibus nos municípios de Cotia, Embu, Taboão da Serra, São Lourenço, Juquitiba e Vargem Grande Paulista e deixavam de recolher aos cofres da empresa pelo menos R$ 60 mil por dia.

Para desbaratar a quadrilha, o Núcleo de Auditoria da EMTU colocou agentes à paisana nas viagens dos ônibus para flagrar irregularidades. Fiscais realizaram diversas viagens pelo trajeto de responsabilidade da Viação Miracatiba, empresa do Consórcio Intervias, que atua na Área 1 de concessão da Região Metropolitana de São Paulo, e descobriram a fraude.

Ao estender a investigação para outras linhas com grande demanda, operadas pelo mesmo consórcio, os fiscais descobriram que a evasão acontecia também em ônibus da empresa que faziam integração com a Linha 5 - Lilás do Metrô, nos terminais de Capão Redondo e Campo Limpo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG