Descoberta arqueológica sugere que os suíços praticavam canibalismo

A descoberta de dois corpos de mais de dois mil anos, mutilados e queimados na Suíça pode confirmar algo que os arqueólogos supunham há algum tempo: que os antigos suíços praticavam canibalismo, informou a imprensa suíça nesta quinta-feira.

AFP |

Os dois corpos de adultos exumados estavam deitados de bruços, sem o braço e a perna direitos, e os restos tinham indícios de queimaduras, declarou um dos arqueólogos do sítio de Mormont, situado entre Lausanne e Yverdon les Bains.

"Pode-se supor que foram assados. Por isso, é provável que tenham sido comidos. Em todo caso, foram tratados como animais", explicou.

Textos romanos permitem achar que os celtas - dos quais os suíços são um dos povos descendentes - praticavam sacrifícios humanos, mas até agora nenhuma prova arqueológica permitiu provar atos desse tipo.

Consultada pela AFP, a agência de pesquisas arqueológicas Archeodunum, que trabalha nesse sítio, assinalou que não pode confirmar informações sobre a descoberta por ora.

Em 2006 foram iniciadas escavações em Mormont, um dos maiores santuários do mundo celta, com mais de 250 valas onde foram encontrados restos de animais e fragmentos humanos.

at/dro/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG