Desapropriações atingem 5 bairros da zona sul de SP

Donos de imóveis de cinco bairros de classe média da zona sul da capital paulista - Parque Jabaquara, Vila Fachini, Vila do Encontro, Cidade Vargas e Cidade Leonor - entraram para a lista dos moradores que serão desapropriados pela Prefeitura de São Paulo depois que o traçado do túnel que ligará a Avenida Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes foi alterado. Ainda não há dados oficiais da administração sobre quantas casas serão afetadas.

iG São Paulo |

Donos de imóveis de cinco bairros de classe média da zona sul da capital paulista - Parque Jabaquara, Vila Fachini, Vila do Encontro, Cidade Vargas e Cidade Leonor - entraram para a lista dos moradores que serão desapropriados pela Prefeitura de São Paulo depois que o traçado do túnel que ligará a Avenida Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes foi alterado.

Ainda não há dados oficiais da administração sobre quantas casas serão afetadas. Mas, segundo a administração municipal, essa informação será conhecida ainda no primeiro semestre. Além dessas propriedades, outras 13 favelas, além das 16 que já estavam previstas para serem reassentadas, também podem vir a ser retiradas do entorno da Operação Urbana ¿?gua Espraiada.

Nas 29 comunidades morariam em torno de 50 mil pessoas, segundo lideranças locais. A Prefeitura, porém, diz que esse número está superestimado. Nas 15 primeiras comunidades já cadastradas pela Secretaria Municipal de Habitação (Sehab) desde novembro, sabe-se que existem 6 mil famílias, ou cerca de 18.100 pessoas.

Imóveis desses cinco bairros foram incluídos na lista de desapropriações depois que a Prefeitura mudou o local por onde o túnel vai passar para baratear o custo da obra. O anúncio sobre a alteração foi feito em novembro. O túnel seria construído do lado esquerdo do córrego ¿?gua Espraiada. Agora, será do lado direito. Dessa forma, dezenas de casas serão colocadas abaixo para dar lugar às alças de acesso do túnel, poços de ventilação e áreas de respiro da obra.

"Se o traçado original fosse mantido, mais bairros seriam afetados", diz o engenheiro Roberto Molin, da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Siurb). O traçado original previa 3,8 quilômetros de túnel. Agora o projeto tem 2,4 quilômetros.

Protesto

Revoltados com a revelação de que terão de deixar suas casas, moradores mandaram fazer cem faixas para colocar nos imóveis em protesto. Eles temem avaliações injustas, abaixo do valor de mercado. "Isso não vai ocorrer em hipótese alguma", afirma Molin. As informações são do Jornal da Tarde.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG