Desapropriação da Marginal para ampliar pistas começa em agosto

Começam em agosto as desapropriações de imóveis ao longo da Marginal do Tietê para ampliação das pistas. De acordo com a Dersa, empresa ligada ao governo do Estado e responsável pela remodelação da via, serão desapropriados cerca de cem imóveis, num total de 95 mil m², ao custo de R$ 138 milhões.

Agência Estado |

Ontem, o Diário Oficial do Estado publicou decreto ordenando as desapropriações.

Também foi definida a desapropriação de cerca de 800 outros imóveis que darão lugar ao prolongamento da Avenida Jacu-Pêssego, na zona leste da capital, e no município de Mauá. São 2,4 milhões de m², ao custo de R$ 360 milhões.

Ao longo do novo trecho da Jacu-Pêssego, a Dersa já cadastrou cerca de 3.500 famílias. Segundo o governo estadual, elas podem optar por receber indenização ou unidade habitacional. Mas boa parte dos moradores ocupa terrenos invadidos e não tem escritura nem documento de posse. As remoções tiveram início em março e até meados de junho já haviam sido retiradas mais de 500 famílias. A desapropriação deve acabar em setembro.

O líder do Movimento em Defesa das Famílias do Traçado da Jacu-Pêssego, Hamilton Clemente Alves, reclama que casas já derrubadas em ações de reintegração de posse estavam identificadas como "em processo de negociação" com a Dersa e, mesmo assim, acabaram demolidas. A Dersa não informou os locais exatos das desapropriações.

    Leia tudo sobre: marginal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG