Desabrigados começam a voltar para casa no RS

O Rio Grande do Sul encerrou o dia de hoje com 2,2 mil famílias desabrigadas e 2,6 mil desalojadas, quatro rodovias interrompidas e 13 municípios em situação de emergência em decorrência de uma série de vendavais e chuvas torrenciais ocorridos entre os dias 7 e 13 de setembro. Há famílias fora de suas casas em quase todas as regiões do Estado, em municípios como São Leopoldo, Novo Hamburgo, Eldorado do Sul, São Sebastião do Caí, Herval, São Borja e Itaqui.

Agência Estado |

Segundo a Defesa Civil, a expectativa é que o número de desabrigados comece a cair amanhã, quando os serviços meteorológicos preveem um dia ensolarado. Mas a preocupação permanece. Para o restante da semana, o prognóstico é de chuva.

Hoje, o dia foi parcialmente nublado. Sem novas precipitações, os rios começaram a baixar nas regiões próximas às cabeceiras e aos cursos médios. Em São Sebastião do Caí, o rio Caí baixou três metros, depois de ter saído de seu curso no sábado. Mesmo assim apenas três das 73 famílias desabrigadas voltaram para suas casas. Como as águas chegaram às regiões baixas do Estado, pelo menos 500 moradores de Eldorado do Sul, na região metropolitana de Porto Alegre, tiveram suas casas parcialmente inundadas pela enchente do delta do rio Jacuí. Dezenas de famílias de São Borja e Itaqui, na fronteira com a Argentina, viram o rio Uruguai sair de seu leito e se aproximar de suas casas.

As rodovias que seguem interrompidas são a RS-129, entre Estrela e Roca Salles; a RS-347, entre Vila Flores e Antônio Prado; a RS-431, entre Bento Gonçalves e São Valentim do Sul; e a RS-441, entre Guaporé e Vista Alegre do Prata. A lista de municípios em situação de emergência subiu de 11 para 13 nesta segunda-feira com os decretos assinados pelas prefeituras de Ronda Alta e São Jerônimo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG